Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

Casa Fernando Pessoa

Localizada na última morada do poeta, na Rua Coelho da Rocha,16 (Campo de Ourique), foi inaugurada a 30 de Novembro de 1993. A casa foi alterada a pedido da Câmara, com projecto de autoria da arqª. italiana Daniela Ermano. Estão em exposição permanente várias obras de pintores consagrados como José de Almada Negreiros (Retrato de Fernando Pessoa no Café Irmãos Unidos), Júlio Pomar, Bartolomeu dos Santos, António Costa e Rodriguez Castañé.
Regularmente o quarto do poeta é recriado em termos cénicos, por artistas plásticos contemporâneos que apresentam obras de Pessoa ou dos seus heterónimos. As salas da Casa Fernando Pessoa têm exposições versando sempre os poetas, as suas vidas e obras.

 

www.casafernandopessoa.com - de momento, infelizmente, o site encontra-se inactivo mas esperemos que volte :)

publicado por musicg33ks às 20:47
link do post | comentar | favorito
|

"como é por dentro de outra pessoa"

publicado por musicg33ks às 20:43
link do post | comentar | favorito
|

Vida de Fernando Pessoa

Fernando António Nogueira Pessoa, nascido em Lisboa, a 13 de Junho de 1888, foi um conceituado poeta e escritor português.
O pai, Joaquim de Seabra Pessoa, era funcionário público e crítico musical. Maria Madalena Nogueira Pinheiro Pessoa, a sua mãe era natural dos Açores.
Foi baptizado dia 21 de Julho, no Chiado, na Igreja dos Mártires.
Durante a sua infância e adolescência, Pessoa é marcado pela morte do seu pai (24 de Julho) apenas com 43 anos, vítima de tuberculose. O seu irmão Jorge, com apenas um ano, falece no ano seguinte.
Mais uma vez, a mãe casou-se com João Miguel Rosa, cônsul de Portugal em Durban, na Igreja de São Mamede. Devido ao casamento, Pessoa vai viver com a mãe, tio-avô e o padrasto para a África do Sul. Aí, começa a gostar de estar isolado que lhe proporcionava muita reflexão. Recebe educação Britânica (dominando bem o inglês).
Realiza o curso primário de 5 anos em apenas 3, numa escola irlandesa de freiras da West Street.
Em 1899, com apenas 11 anos, começa a enviar cartas a si mesmo através do heterónimo Alexander Search.
Em 1901 é aprovado com distinção e escreve os seus primeiros poemas em inglês. Nessa mesma época, a sua irmã Madalena Henriqueta, de 2 anos, morre. Viaja para Portugal com a família, ficando a residir em Pedrouços e indo visitar os Açores (família materna), Tavira (família paterna), e assistindo ao nascimento de João Maria, o quarto filho da mãe de Pessoa.
Toda a família regressa para Durban, menos Fernando Pessoa, que fica a residir em Lisboa. Regressa a África, sozinho, onde tenta escrever romances em inglês. Estuda de noite e de dia dedica-se a disciplinas humanísticas.
Já em 1902, candidata-se à universidade, não obtendo boa classificação na prova de admissão, mas suficiente para ficar em os 899 melhores, ganhando o prémio “Queen Victoria Memorial Prize”. No ano seguinte regressa à escola de Durban, onde aprofunda os seus conhecimentos literários, ingleses e latinos, e escrevendo prosa e poesia em inglês. Nasce a sua irmã Maria Clara, e publica num jornal de liceu um ensaio crítico. Encerra, finalmente, os seus estudos na África do Sul, com bons resultados.
Em 1905, deixa a família em Durban e regressa definitivamente a Portugal. Vai viver com a sua avó Dionísia, doente mental. A escrita de poemas prossegue, e em 1906 Pessoa matricula-se na actual Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, que abandona sem sequer completar um ano de estudos. Desenvolve então o interesse por literatura portuguesa, nomeadamente Cesário Verde e Padre António Vieira.
A sua avó Dionísia morre no ano de 1907 deixando-lhe uma pequena herança cujo Pessoa usa para montar uma tipografia (Empresa Íbis — Tipografia Editora — Oficinas a Vapor) que rapidamente faliu.
A partir de 1908 tornou-se correspondente estrangeiro, traduzindo correspondência e ganhando um modesto estatuto social.
Começa a escrever para a revista “Águia”, publicando ensaios e críticas literárias.
A 29 de Novembro de 1935, Fernando Pessoa é internado no Hospital de São Luís dos Franceses com uma “cólica hepática”. Sendo muito fiel à aguardente “Águia-real” e ganhando problemas devido ao alcoolismo, Pessoa falece, dia 30 de Novembro, com 47 anos, de cirrose hepática. A última frase que escreveu, dias antes de morrer, no idioma com que estudou (inglês) foi: I know not what tomorrow will bring – (Eu não sei o que o amanhã trará.).

publicado por musicg33ks às 20:42
link do post | comentar | favorito
|

Imagens

publicado por musicg33ks às 20:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
25
26
28

.posts recentes

. Anúncio Publicitário

. Entrevista a Fernando Pes...

. Poesias de Fernando Pesso...

. Casa Fernando Pessoa

. "como é por dentro de out...

. Vida de Fernando Pessoa

. Imagens

. Autor/Obra

. Quem somos

.arquivos

. Fevereiro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds